domingo, 14 de janeiro de 2018

Resenha Tutor

Sinopse
Livro: Tutor
Autor: Sue Hecker
Editora: Harper Collins
Páginas: 382
Nota: ✰✰✰













Oi gente linda, tudo bem por aí? Hoje vamos esquentar as coisas por aqui com a nossa primeira resenha Hot!!!
Com essa leitura cumprimos o desafio de janeiro proposto pelas nossas amigas e parceiras do Instagram Farofa Literária.  O desafio proposto foi ler um livro cujo autor é um pseudônimo. Sue Hecker, é pseudônimo criado para Débora Gastaldo.
Esse não é o primeiro livro da autora que resenhamos, falamos do primeiro aqui
E tivemos o prazer de conhecer a Sue Hecker no lançamento do livro, que aconteceu aqui  em São Paulo em fevereiro de 2017.



Sue e Ale Helga

 Vamos conhecer Pedro, um homem bem sucedido, lindo e fugindo a regra de ser perfeito e tudo mais, sofre de TOC (transtorno obsessivo compulsivo) e autoflagelação e Bya uma adolescente de 17 anos que irá sofrer um acidente de carro junto com a família e será a única sobrevivente. Já dá para saber... Pedro será o Tutor de Bya. Durante a trama ambos acabam se apaixonando, mas, será certo o "tutor" se envolver com sua "pupila"?
"A vida é como uma roda gigante em movimento: muda constantemente de posição. os sentimentos são oscilantes..." Página 96
Essa dúvida vai permear no coração de ambos, o medo, a insegurança, aquele pensamento bobo que muitas vezes, nos atrapalha,  pensar o que os outros irão achar sobre isso ou aquilo, tudo isso  vai dando corpo a história e envolvendo o leitor...
A história será narrada em primeira pessoa, vamos poder acompanhar o pensamento tanto de Pedro como o da Bya, e a autora ousou, colocou temas tensos como TOC, autoflagelação, bullying, tudo isso com uma pegada hot...


Então meninas liguem o ventilador e boa leitura!

E você Tá Lendo?



quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Resenha - Roleta Russa

Livro: Roleta Russa
Autor: Jason Matthews
Páginas 432
Editora: Arqueiro
Nota: ★★★★


Sinopse: Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo. Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem. Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR. Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que o livro Roleta Russa não é um livro muito fácil de ler. Primeiro porque as letras são bem pequenas e dificulta um pouco a leitura e cansam demais a vista, depois porque desde os nomes Russos até os símbolos das organizações russas são impronunciáveis e difíceis de lembrar, mas não desista! O livro tem um enredo muito atrativo e os personagens muito bem construídos, quando eu engatei na leitura não conseguia mais parar.

O autor descreveu em detalhes, muitas manobras operacionais, tipos e formas de espionagem que nos faz crer que tudo aquilo é real (e de repente até pode ser), e de repente você se sente no filme do Missão Possível e que Tom Cruise é o Nate Nash.



“A Rússia não perdeu a Guerra Fria. De jeito nenhum. Porque a Guerra Fria nunca acabou. Dominika viu as palavras vermelhas ascenderem para o teto. Palavras belas, fortes, interessantes. A Guerra Fria nunca acabou.”
No livro conhecemos Nate Nash um agente da CIA especializado em contra-espionagem na Rússia, porém após Nate cometer um terrível erro, agora ele é vigiado de perto pelo serviço de espionagem russo, porem para provar e salvar sua carreira ele precisa continuar a sua missão com o agente Marble o maior espião do governo Russo. Porém no mesmo tempo somos apresentamos a Dominika Egorova, uma russa linda e inteligentíssima, seu grande sonho de menina sempre foi ser uma bailarina contratada pela companhia Bolshoi, porém após um grave acidente ela é afastada de seu sonho para sempre, no entanto seu poderoso tio (Vanya Egorova) que é vice presidente do serviço de espionagem russo a recruta para servir o SVR, então ela é mandada para a escola de Pardais, depois de um intenso, brutal (pior que a tropa de elite) treinamento, ela se transforma numa das melhores espiãs infiltradas e é dada uma missão que colocará todo o seu treinamento/habilidades em prova, ela precisa descobrir quem é o Judas vulgo traidor russo que vem passando informações confidenciais  da inteligência russa para os Estados Unidades, adivinha quem é .... Nate Nash.

“Era assim a cada ano – uma duas ou cinco vezes – algum recrutamento era feito em qualquer parte do mundo. Um ser humano com um tipo de carência dizia sim a oferta. Independentemente de como ela fosse feita: com evasivas, de forma fraternal ou do modo mais direto possível, como uma simples proposta de negócios.”



Então os dois que são os mais prováveis inimigos e cada um com sua respectiva missão (um destruir o outro) se conhecem e somos levados ao ápice do livro pois é neste momento que não conseguimos largar mais a história, temos momentos de pura tensão, que a garganta trava, um dialogo inteligentíssimo, que se você espirrar você perde o fio da meada e muitas farpas trocada, nenhum deixa uma resposta dada atravessada sem retorno, e é nesse momento que os dois percebem que sentem uma atração avassaladora no qual um vai ter que ceder e os dois revelar os seus mais profundos segredos e o principal de tudo aprender a confiar um no outro.
 “Uma coisa é certa: quando as coisas dão errado, é assim de uma hora para outra.”


No final do livros somos levados e arrebatados com o desfecho, você só consegue pensar, e agora ? como é que vai ficar ? não, não pode ser, Putz não acredito. Então aqui vai um apelo para o autor, eu peço por favor, lance  assine contrato com alguma editora aqui do Brasil para sabermos o desfecho deste livro. 

“Likha beda Nachalo. Os desastres sempre começam com um problema.”

 
Então, se você gosta de uma boa história de espionagem, mistérios, muita investigação, essa é uma ótima opção de leitura, mesmo porque Jason Matthews é um ex-agente da CIA. Então a leitura se torna tão real e tão verdadeira que é impossível  não embarcar de corpo e alma nessa missão. Neste livro a mensagem que eu consigo enxergar é: você vai conhecer o mais pérfido mundo da ganância e do poder, onde um agente é apenas um peão no tabuleiro do Governo (sentiu a coincidência não?).  

E você, tá lendo?
 

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Resenha - As Batidas Perdidas do Coração

Livro: As batidas perdidas do coração
Ano: 2014
Páginas: 406
Editora: Editora Verus


Sinopse: Viviane acaba de perder o pai. Com a mãe em depressão, ela se vê obrigada a assumir o controle da casa com o irmão mais novo. Rafael teve o pai assassinado há alguns anos e agora viu quatro pessoas de sua família, incluindo a única irmã, morrerem em um acidente de carro. Viviane pertence a uma classe social que ele despreza. Rafael é tudo o que ela sempre ouviu que deveria evitar. Eles são opostos, porém dividem a mesma dor. Jamais se aproximariam se a morte não os colocasse frente a frente, e agora, por mais que saibam que são completamente errados um para o outro, não conseguem evitar uma intensa conexão, que poderá salvá-los ou condená-los para sempre.


As batidas perdidas do coração é uma história sobre as perdas e como cada um lida com elas, é alinha tênue entre o amor e a dor, com uma narrativa envolvente e repleta de um bom repertorio de rock’n’roll, este livro traz a última tentativa de duas pessoas arruinadas pelas perdas que tiveram ao longo de sua vida que juntas, buscam desesperadamente se encontrar.



Viviane passou os últimos 10 meses se preparando para a morte de seu pai, mas nada pode preparar uma pessoa para perder um ente querido, desde que descobriu que seu pai sofria de uma doença em fase terminal, ela deixou de ser adolescente e se tornou uma adulta com todas as responsabilidades que ela nunca tinha tido. Tanto ela quanto seu irmão Rodrigo (que eu tenho muito carinho por esse personagem) cresceram, amadureceram e souberam o que é ter responsabilidades que muitas vezes alguns adultos em sua maior idade ainda não são tão maduros assim.

“ A vida é muito mais que uma sucessão de fatos ao acaso. Quando você acha que nada mais pode acontecer é exatamente ai que tudo muda.”

Quando seu pai morre, a dor consome a todos, mas para piorar a situação a mãe do Viviane e Rodrigo, se entrega a uma depressão profunda. Quem deveria ser o porto seguro dos filhos, não consegue levantar da cama e não sabe mais o que acontece dentro de sua própria casa, então os irmãos só encontram apoiam um no outro.

“Algo que aprendi ao longo desse último mês é o que tempo não é médico, ele é ilusionista. Nós não nos curamos conforme a vida passa, só nos iludimos achando que vai chegar aquele dia em que tudo será mais fácil. Então continuamos à procura do momento em que ficaremos bem, tendo a sensação de que estamos melhorando, quando na verdade só estamos seguimos vivendo.”

Quando Viviane sai do hospital (no dia em que seu pai morreu), ela esbarra com o bad boy (boylicious) do Rafael, um cara tão quebrado quanto Viviane que tem seus demônios e suas perdas tão profundas quanto os de Viviane, e acaba se apoiando entre bebidas e drogas e uma vida vazia, mas esse cara quebrado vai perceber que a patricinha que ele tanto irritou (e o que ele mais poderia odiar, por serem tão opostos) pode ser seu porto seguro e sua salvação e trazê-lo de volta ter uma vida “quase” normal.  Entre altos e baixos (mais baixos do que alto confesso) a história entre os dois se fortalece a cada capítulo e o que era apenas uma atração arrebatadora, se transforme no mais puro e verdadeiro amor.


“ O tempo é capaz de desfocar as nossas dores e nos distrair com a vida que segue, mas a dor nunca some por completo. Nós a colocamos em um arquivo do coração e evitamos mexer nela.”

Com a escrita leve e irreverente a autora Bianca consegue abordar alguns assuntos bem polêmicos e consegue quebrar vários (pré-conceitos).  O livro tem continuação, e a autora deixou bastantes fios soltos para uma continuação, mas no meu ver alguns detalhes podiam ser evitados e ter outro final, mas o livro é muito bom e foco na meta desse ano, quando eu terminar a minha meta leio o próximo, afinal preciso saber o que vai acontecer com esses dois e sobre os outros personagens tão cativantes que encontramos ao longo do livro.


“Meu pai dizia que quando estamos apaixonados, o coração fica tão assustado que pula um batimento, como se estivesse se preparando para todas as variações de velocidade que vai ter que enfrentar a partir daí. É o que ele chamava de {As Batidas Perdidas do Coração}.”

E você, tá lendo ?

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Instrumentos Mortais – A Cidade dos Ossos



Autora: Cassandra Claire
Editoria: Galera Record
Número de páginas: 476
Nota:  ★★★

Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.

Oi pessoal, tudo bem ?
Pra começar bem o ano, eu li o primeiro livro da série instrumentos mortais e a cidade dos ossos. Já tinha visto o filme e a séries disponíveis pelo Netflix e sempre gostei, mas confesso que os livros sempre ficavam encalhados na minha estante, o motivo: eu não sei, só sei que esse ano eu resolvi fazer uma limpa em todos os livros que eu tenho e ainda não li, então se prepare porque vai ter um montão de resenha legal aqui no blog.

  

A história começa com a Clary e seu melhor amigo Simon, os dois entediados resolvem ir numa balada chamada Pandemônio, e de repente a Clary (e somente ela) vê três pessoas matando um adolescente, desesperada e sem ninguém para ajudar porque ninguém mais conseguiu ver o que realmente aconteceu, ela começa a perseguir os três caçadores de sombras (como eles se denominam) e lá ela encontra com o charmoso Jace, então pouco tempo depois, Clary recebe uma ligação de sua mãe chorando e desesperada dizendo para ela não voltar para casa, e adivinha o que aconteceu? Sim, ela voltou para seu apartamento mas acompanhada do caçador de sombras Jace.



Chegando no apartamento ela encontra um demônio e sua mãe misteriosamente desaparece, e é a partir desse momento que a história se desenvolve. Clary vê seu apartamento todo quebrado, então Jace resolve leva-la para o instituto, e partir desse ponto Clary começa a perceber que ela nunca foi uma pessoa normal, ela descobre que sua memória sempre foi alterada desde sua infância para que ela crescesse com uma reles mundana (o que somos nós, meros mortais), mas quando sua mãe é sequestrada, ela descobre que precisa descobrir um paradeiro de um cálice mortal (um dos instrumentos mortais e que tem o poder de transformar um mundano em um caçador). Enfim já percebeu que tem muita coisa para acontecer não é mesmo ? E é a partir desse ponto que você não consegue mais largar o livro e quer saber que envolvimento a mãe da Clary tem com tudo isso e todos os mistérios que rondam essa família. 
“ Se havia uma coisa que ela estava aprendendo com tudo isso era a facilidade com que é possível perder tudo aquilo que se pensa em que será para sempre.”



É inegável não perceber a atração entre Jace e Clary, mas antes que o romance se desenvolva, uma grande descoberta vem a tona, mudando o rumo da vida de Clary, Jace e de todos no instituto e fora dele.

“O menino nunca mais chorou e nunca mais esqueceu o que aprendeu: que amar é destruir e que ser amado é ser destruído”




Preciso fazer um adendo: No começo Jace se acha o centro de universo, sou invencível, ou o melhor, sou o mais lindo, sou o tal meu peito de pombo inflado o tempo todo, chega até irritar, mas depois ele começa a nos conquistar.

“ Aquelas garotas do outro lado do vagão estão encarando você. Jace deu um olhar afetado.- Claro que estão- ele disse.- Sou extremamente atraente”.




Ei! Um ponto para Clary, empoeiramento feminino! Uma personagem forte e não foge da luta e vai atrás do quer e também não deixa qualquer pergunte sem resposta. Gostei! 

“ (...) Fique longe das minhas lâminas. Aliás, não toque em nenhuma das minhas armas sem permissão.- Lá se vai meu plano de vende-las no eBay – resmungou Clary.- Vendê-las onde?Clary sorriu maliciosamente para ele.- Um lugar místico de grande poder mágico.”



A escrita da Cassandra é bem detalhista, o que pode cansar um pouco, e nos da uma sensação que a história não se desenvolve que sempre gira e gira e não sai do lugar, mas é só a até engrenarmos a segunda marcha que começa a fluir e você não consegue mais largar.  E se você procura em um livro: amor, amizade, mistério, magia, suspense e humor, você vai encontrar neste livro.



E você, ta lendo ?

Até mais!


TBR de Janeiro

Voltamos!!! Começo de ano é sempre assim, ânimo total, mil ideias... Esperamos aparecer aqui com uma certa frequência e sempre na primeira semana de cada mês vamos falar da nossa TBR ou nossa lista de livros para ler no mês, quem sabe rola uma leitura conjunta!


 Como nossa intenção é resenhar todos, só vou colocar as imagens e durante o mês conversamos sobre cada um...

São eles:














Se tudo der certo teremos muitas resenhas esse mês!!!
Super beijo...

E você Tá Lendo?

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Top 10

Oi gente linda!!!
Primeiramente queremos agradecer a todos que tiraram um tempinho e vieram até aqui... De coração o nosso muito obrigada!!!
Nosso desejo para esse ano que se inicia é que você continue conosco e que possamos fazer novas amizades, novas descobertas e muitas novas leituras e porque não algumas releituras...


Vamos começar fazendo um Top 10, ou seja, escolhemos os 10 melhores do Blog Tá Lendo, confesso que foi muito difícil, mas, vamos lá:

1. Toda Luz que não podemos ver - Anthony Doer. Um livro ímpar merece ser lido e relido!
Sinopse

2. O Bangalô - Sarah Jio . Mais um romance lindo, que foge do clichê, tem resenha aqui no blog!


3. A Cabana - William P. Youg. Teve adaptação para o cinema, uma ótima dica tanto de leitura ou um lindo filme. Ah! Não esqueça o lencinho...

Sinopse


4. Trago o seu amor de volta sem pedir nada em troca -  Ique Carvalho. Uma leitura diferente, vale uma boa reflexão...
Falamos dele aqui


5. A última carta de amor - Jojo Moyes, Não desista do seu grande amor!!!

Sinopse
6. Closer - Barbara Biazioli  "Quer saber do que são feitas as pessoas ? Comece uma guerra".  Tem laçamento do físico previsto para o primeiro semestre de 2018



7. Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - J.K. Rowling -  "É preciso ter coragem para enfrentar os inimigos, e ainda mais para enfrentar os amigos".


8. O Despertar do Princípe - Colleen Houck - "A eternidade é um tempo longo demais para não se ter alguma coisa para lembrar."


9. Extraordinário - R.J. Paládio, vale muito a pena a leitura, assim como o filme. "A  grandeza não está em ser forte, mas no uso correto da força". 


10. Tipo uma Princesa - Barbara Biazioli, teve um encontrinho delícia em Campinas no lançamento em que marcamos presença e falamos aqui .
"Do que você tem medo? De dizer adeus". 



Você já leu alguns desses? Deixe nos comentários qual seria os seus 10 mais de 2017....




sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Dançando sobre cacos de vidros

[Resenha] Dançando sobre cacos de vidros - Ka Hancock


Título: Dançando sobre cacos de vidro
Título Original: Dancing on broken glass
Autora: Ka Hancock
Editora: Arqueiro
Páginas: 336

Ano de Lançamento: 2013

SinopseLucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles.
Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente.
Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética.
Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.

Primeiramente este livro já se torna altamente especial por ter sido comprado em conjunto com Ale, em uma de nossas aventuras pela livraria Cultura do Conjunto Nacional, um dia estávamos voltando de um evento (literário por sinal) e resolvemos ir até a cultura e lá estava o livro, em promoção, uma olhou para a outra e disse, vamos levar.
Mas antes de continuar eu preciso dar um aviso, pegue um lencinho e não tenha vergonha de se emocionar com a resenha a seguir.



Dançando sobre cacos de vidros, tem uma estória que me surpreendeu do começo ao fim, ele segue contando a trajetória de Lucy e seu casamento um tanto quanto conturbado com Mike.

Tudo isso por que Mike possui um transtorno mental (bipolaridade e transtorno obsessivo compulsivo) que faz com que ele passe por diversas internações para controlar e ater sua sanidade.

Mesmo com todos os problemas do casamento comum e a complexidade de sua doença Mike e Lucy vivem em um casamento com um amor imenso e são o suporte um para o outro. Já que Lucy possui um histórico familiar de câncer e ela mesma quase foi vencida pela doença anos atrás. Então os dois depois de muita conversa decidem que nunca terão filhos, pois pensam que possuem genes defeituosos com doenças que poderiam afetar seus filhos posteriormente. E mesmo assim um milagre acontece e tudo muda na vida deles de uma hora para outra.

“– Lucy, todo casamento é uma dança: complicada às vezes, maravilhosa em outras. Na maior parte do tempo não acontece nada de extraordinário. Com Mickey, porém, haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro. Haverá sofrimento. Nesse caso, ou você fugirá ou aguentará firme até o pior passar.”





Então Lucy descobre que está grávida, e com isso ela precisa lidar com toda a pressão de como contar para Mike que sua promessa foi quebrada, e que eles vão ter um bebê. E começa toda a preparação com a chegada do bebê, começam a pensar na cor do quarto, no tipo de móveis e todos os detalhes que um casal começa a fazer com a chegada de mais uma pessoa a família, mas Mike começa a entrar em pânico, com a ideia de ter um filho e se sentir incapaz de criar uma família.  Com esse pânico, Mike acaba tendo um surto psicótico que o leva a ficar um bom tempo na ala psiquiátrica do hospital, e Lucy precisa seguir com a sua rotina de pré-natal entre outras coisas.

Em um dia de consulta, a Dr. Barbie sente algo estranho no peito de Lucy, mas acredita que seja todas as metamorfoses que o corpo da mulher sofre quando gera um bebê, mas pede que vá ver um amigo especialista em oncologista em uma cidade vizinha. Bom já sabemos o que devemos esperar depois dessa consulta ... Sim, ela está com câncer de mama e precisa tomar a decisão mais difícil da vida, ter esse bebê, deixando o câncer ganhar proporções avassaladoras, porque não é possível fazer um tratamento sem que afete o bebê, ou tira-lo.

Lucy é por diversas vezes muito incompreendida em relação às decisões que ela toma ao decorrer da história, e eu tento de todo modo me colocar no lugar dela e descobrir que se de fato estivesse lá, faria o mesmo. Ela é uma personagem forte, que carrega não só as suas cruzes, mas as de toda a sua família, ela é o alicerce que segura a todos.



"Era como se eu soubesse o segredo da morte. Eu tinha a resposta, a chave para suportar o que é preciso quando alguém que amamos morre. E agora acho que acredito, porque não consigo ver o significado da vida de outro jeito." "Dizem que o primeiro ano após uma perda importante é o pior. Nada mais óbvio. As perdas são um tipo específico de insanidade, e não há como amenizá-las. Não existem atalhos e o luto só é superado se for vivenciado."

Lucy tem mais duas irmãs, Priscilla e Lily, as três sofrem a perda dos pais quando ainda eram jovens, a dor transformou Pris em uma mulher tremendamente dura e viciada em trabalho, mas aproxima muito as outras duas irmãs. O livro não se baseia apenas no amor entre homem e mulher, ele te faz refletir sobre o valor de sua própria vida e apresenta o lindo amor fraternal entre Lucy e Lily.

"A gente compensa as perdas como pode, não importa quando elas ocorram."



E você, tá lendo ?